Um dia desses quando buscava na internet sobre Ecoturismo no Rio Grande do Sul:  a Cia Aventura de Nova Roma do Sul apareceu como uma grata surpresa, nunca tinha escutado falar sobre a cidade e menos ainda de todas as atividades que existem no Eco Parque: Arvorismo, rafting, rapel, pêndulo, paintball, tirolesa.
Reservei os dias 07/03 e 08/03/15 para conhecer toda a estrutura do lugar, inclusive fiquei na pousada colonial dentro do Eco Parque: R$ 59,00 a diária por pessoa e sinceramente muito melhor que a estrutura do outro hotel no centro da cidade de mesmo valor.

Segue a lista de valores repassado pelos administradores:

– Entrada Eco Parque R$ 5,00 com seguro pessoal incluso
– Rafting no Rio das Antas com 8,5 km de extensão e 2:30 horas de duração R$ 70,00
– Fotos DVD 60,00 (1 por bote)
– Floating 4 km iniciando na Hidrelétrica Castro Alves, Balsa união até o cachoeirão R$ 55,00
– Tirolesa Voo do Tucano com 600 metros de extensão e 80 metros de altura R$ 38,00
– Tirolesa Superman com 800 metros de extensão R$ 45,00
– Na compra do Circuito com 3 Tirolesas de 800 metros + 350 metros + 250 metros R$ 58,00
– Rapel Plataforma de 65 metros R$ 45,00
– Rapel na cascata Vó Ernesto com 35 metros R$ 55,00
– Paintball Adventure R$ 40,00 (100 bolinhas)
– Passeio a cavalo R$ 55,00 (1 hora) – não ativo
– Arvorismo com 7 plataformas e Tirolesa R$ 35,00
– Pêndulo R$ 38,00 R$ 60,00 (2 pulos consecutivos)
– Pousada Colonial R$ 59,00 por pessoa com café da manha
– Camping R$ 12,00 por pessoa (utiliza os vestiários do Parque)
– Alimentação colonial (almoço ou jantar) R$ 23,00 com bebida inclusa (Massa, galeto, maionese, Polenta, queijo, salame, saladas, pão, refrigerante e suco).
– Café colonial R$ 20,00 (Pão, queijo, salame, geleias, bolo, grostoli, biscoitos, sanduíches, pasteis, suco, café, leite e fruta).
– Café da manhã R$ 12,00

Os preços não são tão baratos, mas com certeza são melhores que os concorrentes e sinceramente compensa muito!
Escolhi 3 atividades: Rapel na cascata Vó Ernesto, pêndulo e o Rafting(o melhor da região); foi o que o dinheiro podia pagar e não me arrependo!

07/03- Cheguei na cidade antes das 13 horas, cidade bem pequena com pouco mais de 4.000 habitantes que vive da agricultura e começando a desenvolver o turismo, (a praça aonde fica a igreja matriz é bem bonita). Uma cidade pacata e de marcada pela origem Italiana, resolvemos almoçar no Baggio único restaurante no centro da cidade: R$ 20,00 buffet livre e R$ 30,00 o valor por Kg, com uma comida bem típica da região e muito saborosa.

Antes das 14 horas estava no Eco Parque fica localizado a 8 quilômetros do centro da cidade, a estrada é muito boa e placas indicam sua localização, chegando lá me deparei com um tucano e uma arara que ficam em gaiolas que de vez em quando vão para o braço de algum visitante…mas não imaginava o que tinha por vir, os instrutores trouxeram 2 cobras para completar a exibição!

Um pouco depois das 14 horas começaram as atividades, fui primeiro no rapel na cascata do Vó Ernesto de 35 metros, um pouco difícil no começo pois nunca tinha praticado nada parecido, mas os instrutores te passam toda a informação e atenção necessária para cada atividade, foi uma experiência incrível!

Rapel na cascata do Vó Ernesto

Depois fui correndo para o temido pêndulo, de longe a atividade mais radical do parque, estar a quase 100 metros de altura não é fácil mas é gratificante depois que você relaxa e curte a paisagem lá de cima. Recomendo! 

Como as atividades no parque são marcadas em grupos e eu estava sozinho um pouco depois das 16 horas já tinha realizado minhas atividades do dia e fui relaxar um pouco na pousada afinal a tarde tinha sido de fortes emoções. A pousada me surpreendeu, excelente estrutura, casa simples de madeira mas confortável e tudo que se precisa para recuperar as forças para o outro dia, as refeições tanto o café da manhã, almoço e janta são servidos no refeitório do parque, comida farta, tipicamente italiana.

08/03 – Acordamos cedo e após o café da manhã começavam as instruções para o rafting de 8 quilômetros de percurso no Rio das Antas, depois de dividirem em grupos de 6 e 5 pessoas começaram as hilárias demonstrações dos instrutores de como não agir perante as adversidades do Rafting.
Saímos do Eco Parque com um ônibus que nos levava até o início das corredeiras a aproximadamente 30 minutos. De lá sempre com muito bom humor, chegando lá os botes começaram a entrar na água um de cada vez e sobrou pra mim sentar na frente no começo fique um pouco de medo, pois nunca tinha feito nada parecido mas com o tempo fui ficando mais confiante, coisa que o guia também ajuda a trabalhar. Foi sensacional! A tensão das primeiras quedas são diminuídas pelo trabalho em grupo que envolve o esporte, muito mais técnico do que pensava, a atenção deve ser redobrada, e nunca vou esquecer dessa fantástica experiência.

Depois do almoço resolvi ir embora, mas agora com uma sensação de dever cumprido e com a certeza de ter tido um final de semana inesquecível!

Relato escrito por nosso leitor Isaac Ferro.
Data do relato: Março/2015
Fotos e texto: Isaac Ferro.

Deixe Um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *